sexta-feira, 11 de março de 2011

Estamos rezando por você JAPAO


Diante da tragédia do Japão não posso me calar...
By: Monica Blue
O triste de tudo é que somos maus com a natureza. Há milhões de ano ela agüenta calada, sofrendo, sentindo, e sempre nos fornecendo aquilo que necessitamos. Somos superiores e elas devem isso a nós? Nunca. Somos criações como ela, e fazemos parte do universo criado por um ser supremo que fez tudo em seu exato lugar para que pudéssemos sobreviver. Cada verme, cada folha, cada animal, cada um de nós tem um papel importante no equilíbrio desse planeta azul. Somos uma união que se completa desde o mínimo. Temos a sorte de termos polegares, de sermos dotados de inteligência para saber distinguir o bem do mau. Nascemos com a propensão de nos tornarmos bons ou ruins, de contribuirmos ou usufruirmos e usarmos a natureza ao nosso prazer. Podemos utilizá-la de maneira racional, sabendo que tudo se acaba, mesmo o que Deus criou para nós.
A natureza não tem voz, ela não reclama, ela não chora, era simplesmente se vinga, e a forma de fazer isso é destruindo, através de tempestades, tsunamis, tornados, etc. É a voz dela dizendo que não a respeitamos e que estamos extrapolando, passando dos limites. Na época de Noé houve uma arca, mas e agora? O que será de nós? O mundo realmente acabará em 2012? Acho que não, talvez haja uma mudança, de pensamento, muitas pessoas morrerão para que sejamos capaz de perceber isso. Que somos inteligentes, mas não onipotentes. Estamos aqui por empréstimos, como uma escola, para aprendermos, para compreendermos a imensidão Daquele que criou tudo.
Sofro e me compadeço, de tantas vidas que são necessárias para se perderem, de tanta dor, de tanto sofrimento e de tanta miséria que não podemos impedir após anos de descaso. Somos culpados por nos omitimos enquanto a natureza simplesmente é explorada.
Hoje eu estou triste, em luto, por aqueles que foram surpreendidos por esse grito da natureza, por esse momento que começa, o momento da transformação. Sei que é apenas o começo e muitos ainda serão levados, e muitos sofrerão com a fúria incessante da mãe. Aquela que nos fornece os frutos, a sombra, a beleza e a paz. A cada dia que vejo o amanhecer eu agradeço, porque o sol nos fornece a energia suficiente para que o dia seja intenso, e mesmo que as nuvens da chuva molhem tudo e escondam os raios que esquentam, essa chuva nos fornece o verde e o alimento, as frutas, os grãos e as verduras. A lua, as estrelas, o ar, o vento, toda a paz que ela nos transmite.
Somos responsáveis pelas catástrofes, na nossa correria e no nosso dia a dia corrido, esquecemos de olhar para as maravilhas necessárias feitas para nós, por nós e para que nós sobrevivermos.
Só me resta orar, e pedir por aqueles que foram parte dessa tragédia, que estiveram no lugar em que ela começou a demonstrar que estamos agindo erradamente. Será que acordaremos após isso? Quantas vidas serão necessárias para que possamos compreender que o mundo é bem maior do que nossas pequenas vidas?
Compadeço-me e imploro para que essas vidas tenham um caminho para a luz, que eles consigam encontrar a paz, assim como as famílias que ficaram e perderam seus entes queridos. Eu já perdi alguém que era minha vida e sei que a dor é insubstituível e jamais curada, mas o tempo ameniza.
Estou com vocês, onde quer que estejam e minhas orações pedem paz para esses corações, porque nada será o mesmo sem aqueles que amamos, mas podemos continuar, porque a vida continua, mesmo que do outro lado, e o que nos faz forte é a esperança que Deus não nos fez para sermos meros bonecos, mas para sermos seres inteligentes e que aprendem a cada dia, a cada tombo, a cada dor, a cada martírio e ao chegarmos ao outro lado, teremos as recompensas que merecemos e se for necessário, voltaremos novamente com outra roupagem para terminar aquilo que não conseguimos concluir.
Acreditem... a vida continua...
A natureza não se vinga, ela somente reage.
Estou rezando por vocês JAPÃO...

Nenhum comentário: