domingo, 10 de abril de 2011

Lamento no Vale da Solidão


By: Monica Blue

Enquanto caminho na escuridão desse vale
Entre os braços de vampiros e loucos.
Meu coração só quer descansar.
Fugir dessas amarras que ferem minha alma.

Onde você está?
Como pude me afastar de você?
Traga-me de volta sua luz.
Não consigo ficar sem seu amor.

Andando nos escombros que transformei minha vida.
Meu coração ainda bate em algum lugar.
Eu já provei da dor o suficiente para aprender?
Cansei de chorar sozinha algemada em mim mesma.

Quando você voltará?
Avise-me quando puder me encontrar.
Tirar-me dessa bagunça toda que fiz.
Mostrar-me novamente o caminho.

Você ainda me ama?
Sinta o meu amor chamando por você
Dê-me outra chance para aprender que estava errada.
Quero sentir sua energia novamente aquecendo minha alma.


Eu sei que errei.
Não conseguirei lutar sozinha.
Como sairei dessas teia que me envolvi?
A sinfonia é outra. A sintonia é outra.


Você ainda consegue salvar minha alma?
Mostrar que esteve certo e presente?
Não consigo caminhar sem sua luz.
Vou tropeçando em meus próprios passos.


Perdida nas sombras que me envolvem.
Pode ouvir meu chamado?
Eu consigo agora entender que caminhei por outros lugares.
Você consegue atravessar e me tirar daqui?


Eu agora sei o quanto é impossível e insuportável sua ausência.
Eu farei o melhor de mim.
Para tê-lo ao meu lado para sempre.
Farei tudo ficar certo.


Sei que te fiz chorar e sofrer.
Honestamente eu não compreendia o que podia fazer.
Não consigo respirar.
Sem seu amor.


Eu farei o que você disser para me tornar uma borboleta.
Não quero ser um morcego nem mariposa.
Eu não consigo comer ou dormir.
Você é tudo que eu tenho de verdade.


Meu amigo, minha metade, meu amor.
O único anjo que já se importou.
Quando eu caí aqui perdendo-me nesse vale de solidão.
Volte para mim.


Não posso lutar sozinha contra mim mesma.
Diga-me apenas que voltou
E que tudo ficará bem de novo embaixo de suas asas.
Eu voltarei a ficar protegida e quente.


Meu coração emana o resto de luz que sobrou.
Talvez você possa me localizar assim.
Enquanto é tudo frio e escuro.
Ouça as batidas.


Não deixe que eu me vá para provar que estava errada.
Salve-me antes que seja tarde demais.
Encontre uma saída para mim.
Quero sair daqui não vejo como.


Você conseguirá voltar?
Estico minhas mãos para tentar te encontrar.
Sou uma bagunça, tão escuro e frio é esse vale da solidão.
Salve o resto de alma que restou em mim.


Antes que eu queime, exploda ou pule.
Meu coração e alma estão abertos esperando você voltar.
Encontre a porta, a ponte.
Ouça meu chamado.


Fiz a escolha errada, porque não percebi
O quanto uma ilusão pode custar.
Eu farei o que é certo.
Apenas me dê outra chance.


Tire-me desse vale logo
Livre-me das mentiras que eu mesma criei para mim.
Estou perdida aqui sem você, sem sua orientação.
Diga apenas que voltou para mim, por mim.

Nenhum comentário: