segunda-feira, 15 de outubro de 2012

A prova de balas

Por: Monica Lopes

Tantos corações partidos
eu apenas não consigo compreender.
Deve ser por que nos entregamos demais
a este amor.

Tantas vezes que caio.
Nem sei contar.
Sei que tenho que levantar a cada queda.
Proteger meu coração de cada tiro.

Você está tão longe de mim.
Que chega a me rasgar por dentro.
Essa dor insana que destrói tudo.
Tive que aprender a ser a prova de balas.

Eu sou feita de titânio.
Sinto seu olhar gelado sobre mim.
Distante, mas constante.
Apenas não desista ainda.

Você observa em silêncio
esperando que eu aprenda.
A hora certa de voltar.
O momento de abrir seus braços.

Aprendi a ser de titânio.
Totalmente a prova de balas.
De carne, sangue e ossos de titânio.
Apenas tente me compreender.

Somos feitos de materiais diferentes.
tanto a perder.
tanto a aprender.
apenas fecho meus olhos e rezo.

Sei que é uma loucura.
Esperar que você me leve daqui.
Eu continuo caindo e levantando.
No meu próprio mundo.

Vou me arrastando por esse chão.
A prova de balas, mas sangrando por dentro.
Ricocheteia, titânio.
Espero o perdão.

Tivemos tanto sofrimento.
Perto, longe, perto.
Inacreditável.
Tão longe, longe, longe.

Eu sou a prova de balas.
Feita de titânio.

Nenhum comentário: