terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz Ano Novo 2013

Aí vamos nós iniciando mais um ano, cheios de esperança que seja um ano melhor que o anterior, uma lista de promessas e desejos para realizar no próximo ano. Uma dieta, um projeto, uma vontade adiada por muito tempo. Isso é a vida, círculos, vivemos rodando esses momentos, começo, meio e fim. E o que nos define? Um amontoado de sonhos.
Eu nem sei mais o que desejo, no momento estou seguindo a maré. Não me prendo mais em sonhos impossíveis ou desejos pré estabelecidos da minha alma. Sou o hoje, o agora, o momento. Nada mais, nada menos.
Esses último dois anos foram cruciais, eu morri, renasci, chorei mais do que sorri, sofri. Aprendi que não adianta lutar contra o que vem sobre nós, temos que tentar administrar bem o limite, até onde podemos ir, embora eu tenha passado por muitas coisas que jamais imaginei que conseguiria superar. Mas, continuo aqui, escrevendo. Esperando que alguém esteja lendo e concorde ou não com o que tenho a dizer.
Sonhar é bom, é ter esperança, é acreditar que podemos fazer tudo diferente ou melhor.
Talvez um dia eu volte a sonhar. No momento quero apenas conseguir saúde suficiente para mais um ano, para ver meus filhos crescerem mais um ano. O que virá a seguir, só mesmo Deus para me guiar. Não sou melhor que ninguém e talvez nem pior. Já fui ao inferno, caminhei em trevas, fiquei anestesiada e agora não sei se posso explicar o que sinto.
É o momento de fazer uma lista, os otimistas fazem, os pessimistas fogem, eu nem sei o que colocaria em uma lista. O ponto forte é: lutar por uma vida mais saudável.
Enfim, esse ano alguma coisa deve ser publicada, algum sonho será realizado... ou não.
Deus tem sido importante nesse momento, é o que tem me guiado e me dado força para prosseguir, para lutar, para ainda tentar.
E...
Bridget Jones ou não...
Eu continuo.
Porque talvez eu realmente seja de titanium...
Feliz Ano novo!!! Seja você otimista, pessimista, realista ou simplesmente um observador do mundo.
Faça sua lista, mesmo que seja impossível, mas faça.
Nunca sabemos até onde podemos ir.
:-)